Home Page
      PRINCIPAL
  A Grande Pedra
   
   
  Voltar para sanarate.com
   


Sanarate, El Progreso, Guatemala, Central America.




Español

English

Українська

Русский

Français

Deutsch

Italiano

Português
FOTOS — A Grande Pedra da Vila de San Juan
A Grande Pedra da Vila de San Juan

Ela se ergue de forma impressionante, dando a impressão de manter um equilíbrio precário na ponta de uma encosta íngrime com algumas centenas de metros de altura, e que termina na parte inferior de um barranco distante. A lendária Piedrona de San Juan é única nesta area; não há nenhuma outra como ela em quilômetros de distância, tanto por seu tamanho quanto por sua localização única. Ela balança de forma a dar a impressão de que, devido ao seu peso enorme, pode rolar a qualquer momento, mesmo se impulsionada por um simples vento.

Esta impressão engana; ao longo dos séculos La Piedrona tem suportando ventos co força de furacões, e cataclismos geológicos, como o terremoto ocorrido em Fevereiro de 1976 na Guatemala, que matou 25 mil pessoas em áreas do centro e norte do país, incluindo a Vila de San Juan. De acordo com o que contam os nativos, naquele dia terrível eles foram acordados às 03:33:33 da manhã, assustados pela tremenda ressonância e vibração tectônica produzida pelo fenômeno telúrico. O resultado foi uma grande percentagem da vila derrubada, e muitas pessoas feridas e sofrendo de colapsos nervosos.

Conforme a calma foi sendo recuperada, surgiu a dúvida sobre o que teria acontecido com La Piedrona, então ao amanhecer, um grupo de vizinhos seguiu em direção ao morro que é localizado a alguns quilômetros de distância do centro da vila. Os moradores da vila verificaram que nada havia acontecido. À luz deste acontecimento, o mais velho dos moradores garantiu que esta rocha não se move, devido às forças misteriosas que exercem influência sobre ela.

Há uma crença popular de que há muitos séculos, os primeiros habitantes do lugar afirmaram que, ao andar à noite ao longo da trilha da ferradura, que é um atalho que leva à cidade de Sanarate, poderiam se ouvir sons vindos da montanha em cujo topo se encontra a pedra. Podem-se ouvir vozes humanas incompreensíveis, gritos de animais, ecos, o som de água correndo, o bater de asas dos pássaros, gritos arrepiantes e uma vasta gama de sons e barulhos macabros.

Eles também sustentam a ideia de que a pedra foi trazida de algum outro lugar e colocada no topo do morro, dizendo que isto poderia estar relacionado aos símbolos astrais que parecem desenhados na forma de dois círculos, que contêm mensagens indecifráveis em símbolos cósmicos e exotéricos. Um destes círculos representa um fase da lua nova. É necessário apenas se aproximar e olhar de perto para verificar a presença destas figuras representadas em baixo relevo. Aparentemente as figuras foram esculpidas na rocha de granito por pessoas que possuíam grande conhecimento sobre Astronomia e Astrofísica. Porém, o curioso é acredita-se que nos vários séculos desde que se conhece a existência desta pedra, não houve quaisquer pessoas com acesso a este tipo de conhecimento científico altamente avançado.

Também não se encontrou nenhum traço arqueológico que pudesse indicar que a área tenha sido habitada nos tempos pré-Hispânicos. Ao contrário, a história diz que os primeiros colonizadores desta região foram imigrantes espanhóis e sérvios, que chegaram à Espanha e mais tarde viajaram à América em busca de sua fortuna. De acordo com a versão contada pelos residentes da Vila de San Juan, a origem desta pedra não pode ser explicada por meio de algum fenômeno geológico, mas pode ser relacionada com alquimia, misticismo ou metafísica. Fala-se até mesmo que o morro em cujo topo fica a pedra possui uma conexão subterrânea com outros morros, que são venerados por pessoas simples de Sanarate, como locais onde se é possível ter um encontro com o sobrenatural.

Outro fenômeno que ocorre em espanhóis é que em nenhum outro lugar na area é possível encontrar mais cobras e víboras, como a cobra coral, as tamagas e a terrível cascavel. Os fazendeiros asseguram que estes répteis venenosos são os guardiões do morro. Deve-se tomar bastante cuidado também ao se aproximar do morro para não fazer muito barulho próximo à parte inferior da rocha, porque nas ranhuras existem colmeias de abelhas Africanas, que são extremamente agressivas.

Quando a organização de ajuda internacional FOSTER PARENTS chegou à vila de San Juan, entre suas atividades de assistência social estava incluída a visita de “padrinhos” (“patrocinadores”) que foram visitar as crianças que estavam sendo ajudadas. Em meio a este grupo de visitantes, vieram alguns geólogos holandeses fascinados pelas histórias e pela beleza enigmática de La Piedrona. Como eles estavam em uma simples viagem de lazer, estes geólogos não possuíam instrumentos ou equipamentos especiais para conduzir estudos detalhados. Porém, à primeira vista eles determinaram que a composição molecular de granito desta rocha não corresponde à composição calcária do restante das rochas encontradas nos morros próximos. Em outras palavras, esta rocha não deveria estar ali, de acordo com a composição da litosfera, visto que de acordo com suas características ela deveria estar próxima a bancos de algum rio ou em um leito de rio em algum lugar.

Além disso, de acordo com a planimetria e as pesquisas de campo, não existe possibilidade desta rocha ter chegado no local onde hoje se encontra, devido à pressão exercida sobre à crosta terrestre ao longo das eras geológicas. No final, estes bons geólogos apenas aumentaram o enigma, em vez de resolvê-lo. Em outras palavras, a ciência foi deixada sem outra opção fora aceitar que esta pedra foi trazida por algo ou alguém, de forma que a crença popular estaria correta.

A propósito, a semelhança que existem entre La Piedrona de San Juan e a forma de rosto que foi formada na latitude norte do planeta Marte, na região conhecida como Cydonia, é realmente incrível. O "Rosto de Marte" está localizado entre as crateras Arandas e Bamberg. A cápsula espacial “Viking 1”, enviada pela NASA, tirou diversas fotos deste “rosto” em 25 de Julho de 1976.

Se a Vila de San Juan fosse um país, certamente seu símbolo nacional seria La Piedrona, e com razão. Para vocês que leram esta material, nós trazemos as palavras enigmáticas de um sábio e experiente fazendeiro de San Juan, que se expressou sobre este fenômeno da seguinte maneira: "Você sabe... não se deveria acreditar nestas coisas... ou parar de acreditar..."



tono herrera gudiel
webmaster@sanarate.com

Reportaje y Fotos:
Jorge H. Herrera

Foto No. 9:
A. Foltin

Foto No. 13:
Viking 1 Spacecraft — NASA

Foto No. 14:
Jorge H. Herrera
and
Viking 1 Spacecraft — NASA


© 2015 — Direitos Reservados

© Copyright 2015

Localización

Anúncios Google


© Copyright 2015.   www.sanarate.com — www.guatelink.com